Publicidade estatal

Planalto pagou R$ 121 mil ao Twitter para impulsionar campanhas em 2017

Governo pagou por destaque de hashtag e repercussão no Twitter foi negativa. Já o Facebook recebeu R$ 500 mil em 2017



O governo federal pagou R$ 121 mil para o Twitter em 2017. Além de promover publicações na rede social, o Planalto também usou o dinheiro para fixar campanhas entre os assuntos mais comentados.

O Twitter Brasil Rede de Informação LTDA. recebeu R$ 121.463,21 em 2017. No 1º semestre foram gastos R$ 56.814,36. Nos últimos 6 meses do ano, foram pagos R$ 64.648,85. Além dos R$ 121 mil com o Twitter, o Planalto também gastou quase R$ 500 mil com o Facebook em 2017.

Os dados são do Portal da Transparência e foram acessados em 27 de dezembro de 2017. Os últimos gastos apresentados no caso do Twitter são referentes a outubro de 2017.

O governo impulsionou publicações sobre as reformas trabalhista e previdenciária. Uma das peças divulgadas diz que a proposta de mudança no sistema de aposentadorias é “contra privilégios” e que se não for aprovada “o rombo da Previdência só vai aumentar”.

Outra peça promovida pelo governo fala em em 2018 como o ano “das melhorias e das reformas”. Usa uma estratégia de repetir algumas frases com 1 tom pessimista e depois em 1 tom otimista. Outra alternativa publicitária do governo foi investir na exposição da hashtag #AgoraÉAvançar, promovida pela página Governo do Brasil em 20 de dezembro de 2017.

As respostas dos usuários, porém, não foram positivas. Muitos criticam os gastos com a promoção na rede social. Querem saber quanto custou aos cofres públicos. Os últimos dados disponíveis no Portal da Transparência, porém, se referem a outubro de 2017 e somam R$ 24,2 mil.