O honesto que não quer que nada seja investigado

–  MÁRCIO ALEXANDRE – 


O presidente Bolsonaro é, até que se prove o contrário, uma pessoa honesta. A presunção de inocência também se aplica a ele. Qual o grande problema nisso? É que é o próprio presidente quem coloca no lixo esse princípio. Analisemos.

Há evidências de crimes cometidos por Flávio Bolsonaro, seu filho no Senado (lembra do esquema da rachadinha?). O que fazem Bolsonaro e o rebento? Tentam parar as investigações, a todo custo.

Carlos Bolsonaro, o filho do presidente na Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro, é acusado que comandar uma criminosa milícia digital bancada com recursos públicos (lembram a CPI das Fakes News?). O que o presidente fez? Trocou todos os delegados da Polícia Federal que sabem das investigações e que poderiam fazer com os trabalhos tivessem andamento. Perdeu até aquele que foi o responsável por sua vitória (lembram das delações forjadas por Moro, aquele que também vazava informações importantes de investigações para beneficiar Bolsonaro?).

A família Bolsonaro é acusada de envolvimento no assassinato da vereadora Mariele. Um porteiro revela que um dos acusados do crime chegou ao condomínio onde o presidente mora/morava e que quis falar com ele. O que Bolsonaro fez? Pegou a gravação da campanha e levou para si.

Pelo que está posto, fica provado que ao invés de usar seus advogados pessoais para provar sua inocência e de seus filhos, o presidente utiliza o aparato estatal para esconder evidências, apagar provas e ameaçar pessoas.

Chama a atenção que sobre o clã Bolsonaro recaiam tantas acusações (essas são apenas algumas) e não se preocupe em deixar que pelo menos uma investigação se conclua para que sua inocência reste provada.


AULAS REMOTAS

Foram retomadas nesta segunda-feira, de forma remota, as aulas na rede municipal de ensino. Muitas escolas divulgaram em suas redes sociais como foi o primeiro dia de oferta de atividades online.

AULAS REMOTAS II

A rede estadual de ensino está discutindo a portaria sobre aulas remotas, da Secretaria Estadual de Educação, e fazendo o planejamento para que as atividades sejam iniciadas em breve.

DOIS PESOS

A vereadora Aline Couto está cobrando do Governo do Estado agilidade na distribuição dos kits de merenda escolar para alunos da rede estadual de ensino. Segundo a edil, a distribuição está atrasada.

DUAS MEDIDAS

Há informações de que a distribuição na rede municipal de ensino sequer foi iniciada. Importante que a vereadora tenha essa luta ampla apontando erros do governo estadual, mas para que não fique incoerente, não pode ela, jamais, deixar de apontar os erros da administração municipal.  Que, aliás, essa sua função precípua.

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support