Covid-19

Municípios foram orientados a guardar segunda dose de vacina, diz Sesap

Cerca de 90% dos municípios vêm cumprindo com todas as orientações, para que não falte a segunda dose

A Secretaria Estadual de Saúde ainda não sabe quando deverá receber novas remessas de vacina contra Covid-19 para repassar aos municípios potiguares e disse que as secretarias municipais tinham sido orientadas a guardar estoque para a segunda dose.

Desde esta segunda-feira (12), a vacinação foi suspensa em Natal e inclusive pessoas que já tinham tomado a primeira dose ficaram sem a segunda aplicação da CoronaVac, porque as vacinas acabaram.

Segundo a coordenadora de Vigilância em Saúde, Kelly Maia, a expectativa do estado é receber mais doses até o fim da semana, porém, ela afirma que a Sesap normalmente só recebe a confirmação do Ministério da Saúde sobre envio e do número de doses um dia antes. O Instituto Butantan liberou nesta segunda-feira (12) mais 1,5 milhão de doses da vacina CoronaVac ao Ministério da Saúde.

Em entrevista nesta terça-feira (13) ao Bom Dia RN, da Inter TV Cabugi, Kelly afirmou que os municípios foram orientados, na última grande remessa enviada ao estado, no início de abril, que a maioria das vacinas deveriam ser usadas para aplicação da segunda dose.

“Por que o estado não segurou essas doses e só enviou em tempo oportuno? Por causa de uma reorientação do Ministério da Saúde que reafirmava que a o estado deveria distribuir todas as doses para os municípios, deixando apenas a reserva técnica, para eventuais perdas. Dessa forma fizemos, distribuímos, mas esclarecemos que boa parte daquelas doses que estavam sendo enviadas deveria ser aplicada como D2”, declarou.

Ainda de acordo com a coordenadora, cerca de 90% dos municípios vêm cumprindo com todas as orientações, para que não falte a segunda dose, “já que nós temos a clareza que a completude do esquema vacinal é o que vai garantir a imunização”.

Questionada sobre os municípios onde as doses já teriam acabado, ela afirmou “em tese, usaram de uma forma que não deveria ter sido utilizada”.

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, o Ministério da Saúde envia as doses já especificando quantas são para primeira e segunda dose, bem como os públicos-alvo aos quais elas se destinam. Após ao chegar ao estado, as doses são distribuídas aos municípios seguindo as estimativas populacionais do IBGE.

G1 RN

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...