Para Europa

MPRJ investiga possíveis irregularidades em viagem de Crivella

Crivella viajou para a Eruopa acompanhado de outras quatro pessoas, que tiveram suas passagens aéreas custeadas pela prefeitura.

O Ministério Público do Rio de Janeiro abriu inquérito civil para apurar possíveis irregularidades na viagem à Europa do prefeito Marcelo Crivella (PRB) durante o carnaval. Ele viajou acompanhado de outras quatro pessoas, que tiveram suas passagens aéreas custeadas pela prefeitura. Dois também tiveram as diárias de hotel pagas.

Ao todo, o gasto é estimado em pelo menos R$ 130 mil. Em comunicado, o MP informou que será investigado se a viagem realmente atende ao interesse público e justifica o gasto. “O MPRJ determinou que seja esclarecido pelo prefeito o custo de cada viagem internacional realizada, com encaminhamento de planilha das passagens aéreas e diárias”, informa.

Esclarece ainda que, em novembro, o município do Rio editou a Resolução 68, na qual eleva em 46% o valor das diárias pagas aos agentes públicos municipais em viagens oficiais ao exterior. No caso do prefeito, o valor da diária em deslocamentos para Europa foi reajustado de 297,27 euros para 435,87 euros.

Em viagens fora da Europa, a diária foi de US$ 280 para US$ 410,55. Além da justificativa oficial para cada viagem e benefícios gerados à cidade, Crivella deve indicar os nomes e cargos de cada um dos membros da comitiva. A Controladoria Geral do Município também deverá esclarecer se recebeu relatórios detalhados de controle das viagens.

A prefeitura, por meio de sua assessoria de imprensa, informou que Crivella viajou acompanhado do chefe executivo do Centro de Operações Rio, Guilherme Sangineto, do diretor-presidente da Empresa Municipal de Informática, Fábio Pimentel de Carvalho; do chefe de Inteligência da Polícia Militar, coronel Antônio Goulart; e do engenheiro industrial Luis La Torre. O grupo esteve na Alemanha, Áustria e Suécia em busca de soluções tecnológicas para a segurança da cidade, segundo a assessoria.

Foi ainda solicitado à Câmara Municipal que encaminhe ao MPRJ cópias dos relatórios sobre os resultados das viagens internacionais oficiais do prefeito. A prefeitura informou que ainda não havia recebido ofícios do MP e que, assim que chegassem, prestaria as informações solicitadas.