Covid-19

Hospital Tarcísio Maia começa a sofrer nova pressão por leitos de UTI

Unidade registrou aumento na procura por leitos críticos nessa segunda-feira, preocupando médicos e autoridades sanitárias

O Rio Grande do Norte segue com uma baixa taxa de ocupação de leitos para pacientes Covid-19. A ocupação é de 57,38% para leitos críticos (UTI) e de 41,69% para leitos clínicos.

Apesar disso, algumas situações preocupam, principalmente agora que o isolamento social tem caído ainda mais e muitas atividades econômicas estão liberadas.

Exemplo disso é o Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM), em Mossoró. A unidade atende a pacientes da região oeste e já começa a sofrer nova pressão por leitos de UTI. Nesta terça-feira, dos 20 leitos disponíveis no HRTM, 13 estão ocupados, 4 bloqueados e 3 disponíveis.

Para profissionais da área da Saúde, há um visível relaxamento de parte da população com as regras de prevenção, principalmente com o isolamento social e o uso de máscaras de proteção.

Nessa segunda-feira, o HRTM registou aumento na procura por leito de UTI Covid. Esse fato, associada à flexibilização e ao aumento da taxa de transmissibilidade, acende o alerta de uma possível segunda onda de contaminação.

A taxa de ocupação de leitos de UTI no Tarcísio Maia, hoje, de 81,3%, é a quinta maior entre as unidades hospitalares instaladas no Ri Grande do Norte, ficando atrás apenas do Hospital Rio Grande (100%), Hospital Maternidade do Divino Amor (88,89%), Hospital Regional Telecila Freitas Fontes (86,67%) e Hospital São Luiz (82,50%).

A taxa de ocupação dos leitos do Tarcísio Maia pressiona também a média da região oeste, que hoje pela manhã é de 73,8%, a segunda maior do Estado.

Para profissionais da Saúde, para evitar uma nova onda de contaminação são necessárias medidas urgentes, como punição aos estabelecimentos que infringirem as normas de segurança sanitária, ostensiva campanha informativa de conscientização sobre a continuidade da epidemia e a necessidade do uso de máscaras, higienização das mãos e manutenção do distanciamento social.

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...