Fábio perdeu chance de ficar calado

O deputado Fábio Faria (PSD) sempre foi visto como um bon vivant, aquele tipo de pessoa que leva uma vida fácil, sem maiores preocupações e que curte todo o bom que o fato de ter nascido em berço de ouro oferece. Pra completar o cardápio de boas coisas a se curtir, Fábio ganhou um mandato de deputado federal. Filho do ex-deputado estadual e ex-governador Robinson Faria (PSD) foi fácil essa conquista. Um presente.

A grande questão é que, mesmo tendo sido investido em um cargo de grande importância, Fábio quase não dá importância a ele, ou aos eleitores que lhe conferiram, até agora, quatro mandatos. O que fez nos quase 10 anos na Câmara Federal é de pouco conhecimento do povo. Aliás, Fábio não tem se preocupado sequer em visitar suas bases eleitorais em períodos que não sejam campanhas eleitorais. Radicado em São Paulo, pouco vem ao Rio Grande do Norte, e quando vem, quase ninguém sabe.

Talvez a apatia do seu mandato, seu distanciamento do Estado de origem e, principalmente, a falta do que mostrar como parlamentar, o tenham levado a questionar publicamente a governadora Fátima Bezerra (PT) sobre previdência estadual. E foi de uma infelicidade atroz. Por três questões básicas.

A primeira, como destacamos, é anemia de sua atuação. Quase não se sabe o que Fábio tem feito para justificar o mandato, o salário e os benefícios de ser deputado federal.

Segundo porque seu pai foi quem antecedeu a Fátima Bezerra no comando do governo estadual. E todos sabem o desmando que foi a gestão Robinson Faria. Foi um governo tão mal avaliado pelos potiguares que, candidato à reeleição, Robinson terminou num vexatório quarto lugar. Fábio, como deputado, nunca deu uma palavra sobre a esquálida gestão do pai.

Terceiro: Fábio deve saber que, além de nada ter feito para minimizar os efeitos do déficit da previdência estadual, Robinson Faria foi quem deixou o Fundo Previdenciário sem um real sequer, fazendo saques para pagar salários. E mesmo assim, ainda deixou 4 folhas salariais sem ser pagas. Fábio perdeu uma ótima oportunidade para ficar calado.

TESTE DIFÍCIL

Propor Reforma da Previdência aos servidores estaduais será um grande teste para a governadora Fátima Bezerra (PT). Se é verdade que é necessário que a previdência estadual deva ser ajustada, também é verdade que quase em toda a sua história política, Fátima se colocou contra as propostas de reforma da previdência.

MATANÇA DESENFREADA

As polícias militares do Rio de Janeiro e São Paulo parecem participar de uma hipotética disputa sobre qual delas é mais mortal. Quase toda semana surgem casos de mortes por policiais paulistas ou cariocas. Com esse cenário preocupante, o presidente Bolsonaro ainda defende dar permissão aos policiais para matar.

DANDO SINAIS

A evidente falta de entusiasmos, compromisso e preocupação da prefeita Rosalba Ciarlini com questões importantes de sua gestão tem levado analistas políticos alevantar a hipótese de que a chefe do Executivo mossoroense poderá não disputar a reeleição. Para eles, ninguém comete tantos erros crassos às vésperas de uma eleição como Rosalba tem cometido. Há relatos de que Rosalba demonstra cansaço e falta de vontade para uma nova disputa., Carlos Augusto, por seu turno, segue irredutível com a candidatura da esposa.

CAUSANDO ESPANTO

Falar em Rosalba é dizer o quanto causou espanto o fato de a prefeitura ter recebido mais de R$ 5 milhões do FUNDEB na sexta-feira passada, 29/11, e não ter pago aos profissionais da educação. A prefeita deverá enfrentar problemas na Justiça por conta desse fato.

PROCESSOS A RODO

Importante destacar que a gestão Rosalba Ciarlini enfrenta um processo movido pelos Bancos Panamericano e Caixa Econômica Federal por ter descontado valores de empréstimos consignados dos servidores e não repassá-los aos bancos. O Ministério Público também acionou a prefeita e a prefeitura pelo mesmo motivo.

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...