Crise na Saúde

Equipe de plantão suspende atendimento em UPA

Profissionais da saúde denunciam falta de condições para receber pacientes com suspeita de contaminação por coronavírus

A equipe que atua no plantão da Unidade de Pronto Atendimento UPA) do Belo Horizonte, em Mossoró, está denunciando que aquela unidade médico-hospitalar não está oferecendo aos profissionais de saúde os Equipamentos de Proteção Individual (EPI´s). Segundo o relato da equipe, essa e ouros problemas verificados na UPA põem por terra o discurso feito pela prefeitura de Mossoró de que aquela unidade está pronta para atender aos pacientes com suspeita de contaminação pelo coronavírus, inclusive com instalação de salas de isolamento para esse ipo de paciente.

Ainda de acordo com a equipe, a unidade tem recebido cada vez mais pacientes com suspeita de contaminação pelo coronavírus e, sem os equipamentos de proteção, os profissionais estão expostos aos riscos que a doença representa. Por cona disso, a equipe decidiu suspender os atendimentos na UPA do Belo Horizonte.

Veja a denúncia na íntegra:

“Na data de 02 de abril de 2020, a equipe que integrou o plantão noturno na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do BH (Mossoró-RN) constatou a falta de EPI’s adequados para os profissionais realizarem o atendimento das demandas relacionadas a pandemia do COVID-19. Contrapondo o divulgado na imprensa e redes sociais de que esta unidade é referência para atender casos suspeitos e confirmados de Coronavírus.

Durante o atendimento inicial do plantão noturno, constatou-se 3 (três) casos suspeitos com sintomas de febre, falta de ar, histórico de contato com caso confirmado, colocando em risco toda a equipe ao realizar assistência aos pacientes, uma vez que a unidade não dispõe de equipamentos e insumos necessários para atender aos usuários suspeitos.

Ressalta-se ainda que o setor de isolamento dispõe apenas de 01 (um) leito para os suspeitos de COVID-19 e o mesmo encontra-se contaminado, já que a desinfecção não pode ser realizada na ausência dos matérias de proteção individual adequados.

Dessa forma, a equipe em conjunto decide interromper o atendimento na UPA do BH pela falta de condições básicas, ao mesmo tempo em que comunica às autoridades e aos órgãos competentes para que sejam providenciadas com a máxima urgência as devidas condições de trabalho. Lembrando ainda que, os EPIs e a estrutura relatada acima são fundamentais para segurança dos profissionais de saúde, bem como da própria população. Assim, aguardamos respostas e resolutividade das autoridades competentes para que os atendimentos possam ser normalizados”.

Mossoró, 02/04/2020
Atenciosamente,
Equipe de plantão,

OUTRO LADO – O Portal do RN contactou a prefeitura de Mossoró sobre o problema. Falamos com a Secretaria de Comunicação Social (Secom) às 8h16 de hoje. Na oportunidade fomos informados que a prefeitura estava preparando uma nota de esclarecimentos para distribuir com a imprensa. Até agora, não a recebemos. Logo que nos for repassada, divulgaremos.

NOTA DA REDAÇÃO – Às 18h30, a prefeitura enviou ao Portal do RN a nota de esclarecimento prometida pela manhã. Veja:

Nota de esclarecimento

A Prefeitura de Mossoró informa que não é verdadeira a informação da falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) nas unidades de pronto-atendimento (UPA).
O que ocorreu é que em função da alta demanda das máscaras N95, de utilização preferencial por profissionais de saúde, houve falta momentânea desse tipo de material que logo foi sanada. Tendo em vista que um novo lote foi entregue na noite desta quinta, 02.
Além destas, estão disponíveis luvas, gorros, aventais descartáveis, capacetes, macacões e óculos de proteção.
A Secretaria Municipal de Saúde tem adotado todo os procedimentos de higiene e cuidados sanitários necessários aos profissionais que estão na linha de frente e atuando com grande esforços em contato direto com a população durante o momento de pandemia.

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...