Entrevista

Conversa da Semana com o vereador Cabo Tony Fernandes

O vereador Tony Magno Fernandes Nascimento, 35 anos, Ou Cabo Tony Fernandes (Solidariedade) é o entrevistado do Portal do RN, na seção Conversa da Semana de hoje. Nesse bate papo, o parlamentar fala um pouco sobre sua atuação como vereador, como é representar o povo em sua primeira gestão e comenta também sobre como é estar em evidência como um dos vereadores mais atuantes na Câmara Municipal de Mossoró. Durante a conversa, Tony detalha suas lutas e militâncias antes de entrar na política. Fala sobre seus projetos, o que o motivou a disputar um cargo político e dos planos futuros na vida pública.

Por Sayonara Amorim

PORTAL DO RN – Vereador Tony, você vem de uma carreira profissional firmada dentro da Polícia Militar, como surgiu seu o interesse pela política?

TONY FERNANDES – Na minha época de estudante eu sempre integrei e participei dos movimentos estudantis e ingressei na Polícia Militar, onde fiquei por 14 anos atuando. Durante o tempo em que fui militar sofri retaliações e punições por estar sempre reivindicando direitos para a categoria. Essa busca por direitos dentro de um regime militar me rendeu transferências e muitos problemas. Mas nunca desisti de lutar pelo que acredito. Em 2006 nós fundamos a Associação de Praças da Polícia Militar de Mossoró e Região (APRAM) da qual sou presidente até hoje. Através da associação conseguimos muitos ganhos de direitos para a os policiais e acredito que venha dessas lutas o interesse político.

PRN -Essa foi a primeira vez que disputou um cargo político?

TF – Foi minha primeira disputa e confesso que me surpreendi com o resultado, mesmo tendo a consciência que trabalhamos muito para chegar à vitória. Mas temos a consciência que quando fazemos um trabalho sério o resultado aparece.

Como parlamentar tenho mais liberdade para buscar as melhorias para as pessoas sem sofrer retaliações ou punições.

PRN – A sua votação foi muito expressiva para um iniciante, a que você atribui esse resultado positivo conseguido no seu primeiro pleito?

TF  – Atribuo esse resultado a muito trabalho. Eu já vinha de uma vida de lutas pelos direitos dos trabalhadores e tinha a consciência que o político tem mais acesso ao poder público, por ter a oportunidade de criar projetos e cobrar de forma mais direta às autoridades. Como parlamentar tenho mais liberdade para buscar as melhorias para as pessoas sem sofrer retaliações ou punições. Nós lutamos muito para chegar à vitória e o trabalho continua, porque tenho muitos projetos ainda para colocar em prática.

PRN – Vereador, você vem apresentando muitos projetos de relevância na Câmara. Um deles, prevê impedir que homens que foram punidos ou respondem a processo por agressão a mulher ou tenham cometido crime de feminicídio ocupem cargos públicos. De onde surgiu a ideia desse projeto, em especial?

TF – O projeto surge do fato de que um homem que foi processado ou reponde a processo porque agrediu ou mesmo matou uma mulher ele pode repetir essa agressão com uma colega servidora. E o projeto tenta evitar exatamente que este tipo de violência contra o público feminino aconteça também no ambiente de trabalho. E temos outros projetos, que vamos lançar em breve, que também são voltados para a proteção das mulheres.

PRN – Os números da violência contra a mulher em Mossoró, a exemplo, de outras cidades do país, são considerados muito altos. Como você vê os mecanismos de proteção a mulher em nossa cidade?

TF  – Sabemos que a violência contra a mulher é um problema grave e que Mossoró tem um índice elevado de mulheres vítimas de agressão. Já temos alguns serviços que atendem a essas vítimas como a Patrulha Maria da Penha, da Guarda Civil Municipal, mas sabemos que ainda não é suficiente para a tender a demanda. Temos um projeto que prevê a criação de mais uma patrulha feminina da Polícia Militar aqui para Mossoró e Região e vamos lutar para conseguir concretizar esse mecanismo que visa reforçar o trabalho de proteção as mulheres vítimas de violência.

Sabemos que somente a polícia não é capaz de garantir que a população se sinta segura, mas quando se vê a polícias nas ruas através de rondas ostensivas, a sensação de segurança aumenta.

PRN – A sua vivência como Policial Militar lhe proporcionou, além de experiência, um conhecimento mais detalhado sobre as necessidades no setor policial em nossa cidade e região. O efetivo insuficiente é o principal problema enfrentado pela Polícia Militar?

TF  – É um dos principais. É inadmissível que a segunda maior cidade do Rio Grande do Norte ainda não disponha de um efetivo mínimo para atender a população. Mesmo com as últimas convocações de policiais, o número ainda é muito inferior ao necessário. Sabemos que somente a polícia não é capaz de garantir que a população se sinta segura, mas quando se vê a polícias nas ruas através de rondas ostensivas, a sensação de segurança aumenta.

PRN – Você fala que ainda pretende lançar muitos outros projetos ao longo do seu mandato, pode nos adiantar um pouco sobre essas reivindicações?

TF  – Eu me sinto muito bem quando estou lutando por uma causa para o bem de alguém e temos muitas bandeiras ainda para levantar e vamos buscar meios para concretizá-las. Tem um projeto que tenho muito interesse em que seja posto em prática que é a proibição de fogos de artifício com efeito sonoro. Esse projeto tem como objetivo defender vários públicos, como idosos, doentes, recém-nascidos, autistas, animais. Muita gente que solta fogos sonoros não tem ideia de como faz mal para uma criança com autismo ouvir o barulho. O nosso projeto não é para impedir que se utilize fogos e sim que sejam proibidos os que tem efeito sonoro. E temos muito trabalho ainda pela frente, muita causa para defender.

PRN – Você começou a vida política com sucesso de votos, projetos relevantes e uma aceitação relevante do seu trabalho como representante do povo. Quais são suas pretensões futuras no meio político?

TF  – Eu confesso que já fui sondado para tentar outros cargos futuramente, porém, no momento eu quero continuar trabalhando e fazendo valer cada voto de confiança que me foi dado povo.

PRN – Fugindo um pouco da vida profissional e pública, sabemos que tem um talento musical reconhecido na cidade. É identificado como um excelente cantor e detentor de uma voz inconfundível. De onde vem esse talento? Já atuou como cantor em alguma época de sua vida?

TF – Eu sempre gostei muito de música e quando adolescente era fã de bandas de rock e teve uma época em que cheguei a formar uma banda de pop rock com uns amigos aqui na cidade. O gosto pela música continua, mas a vida de cantor faz parte de um passado que guardo com carinho.

PRN – Vereador Tony, queremos agradecer a sua disponibilidade para conversar com o portal e fique a vontade para fazer suas considerações finais.

TF  – Eu quem agradeço a oportunidade de poder falar um pouco sobre meus projetos como vereador, da minha vida de militar, das lutas. E vocês lembraram até da época em que eu cantava. Fiquem à vontade e estarei sempre à disposição.

 

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...