Artigo

18 de junho, Dia Mundial do Orgulho Autista

Vamos respeitar as diferenças

Por Sérgio Oliveira de Assis*

Eis um bom desafio para este dia e os próximos: Vamos Respeitar as Diferenças. Será que o grau de satisfação das pessoas verifica-se, como costumamos ouvir, pelo ter, aqui uma referência aos bens materiais proporcionados pelo dinheiro, e não pela sua relação com o ser, com o próximo, o indivíduo que vive a sua volta? Quando cito o desafio para este dia é pelo fato de vivermos hoje, 18 de junho, o Dia Mundial do Orgulho Autista, momento que nos remete logo ao tema, Vamos Respeitar as Diferenças.
Vamos Respeitar as Diferenças seguindo o exemplo da Ordem dos Advogados do Brasil – subseção de Mossoró, pioneira no Rio Grande do Norte na criação da Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Autismo.

Vamos Respeitar as Diferenças seguindo o exemplo de governo federal que em tempo de pandemia do novo coronavírus determinou que o autista não é obrigado a usar máscaras. Decisão essa reforçada em alguns Estados e cidades com decretos dos seus governadores e prefeitos. Lembrando ainda da lei que obriga, mesmo neste período, aqui um recado direto para os pais, que a criança autista esteja devidamente matriculada e, no caso das escolas que estas possam se adequar para o ensino online. Tudo em nome do respeito as diferenças.

Vamos Respeitar as Diferenças aprendendo que o autismo não é doença. A data, 18 de Junho – Dia Mundial do Orgulho Autista, foi criada em 2005 nos Estados Unidos e visa esclarecer a sociedade sobre as características únicas das pessoas diagnosticadas com algum grau do Transtorno do Espectro Autista (TEA) e busca normalizar a neurodiversidade, ou seja, o reconhecimento de que o funcionamento cerebral de algumas pessoas é diferente do que é considerado típico.

“A intenção é demonstrar à sociedade que o autista não tem uma doença, mas apenas apresenta condições e características especiais que trazem desafios e também recompensas aos seus familiares e à comunidade”, declarou em nota o presidente da Comissão da OAB Mossoró, advogado e pai de autista Arnon Dutra. Abrace essa ideia e, usando uma comunicação bem atual vamos concluir lembrando: #vamosrespeitarasdiferenças.

* Jornalista, radialista e advogado.

Comentários
Loading...