Pandemia do coronavírus

Transporte coletivo reduz oferta de linhas

Covid-19 impõe mudanças a ônibus na cidade de Mossoró, obrigando empresas a fazer adequações para reduzir prejuízos

O sistema de transporte coletivo de Mossoró também está sofrendo com a pandemia do coronavírus. Com as restrições impostas às pessoas quanto a sair de casa, a demanda pelo serviço caiu, obrigando as empresas a readequarem a oferta.

As ameaças do coronavírus (covid-19) impuseram mudanças em quatro linhas do transporte coletivo de Mossoró: linha 2 (Abolições, Santa Delmira, Redenção), linha 6 (Universidades), linha 12 (Nova Mossoró, Santo Antônio) e linha 14, que passa a ser Aeroporto, Rodoviária, Shopping. Nas demais 12 linhas, não há mudança.

As alterações compreendem fusão, como na linha 14, que incorporou a linha 10 (Shopping), e redução de viagens, como na linha Universidades. As mudanças estão detalhadas no Facebook (cidadedosoltransportes) e no Instagram (@cidadedosoloficial), onde também se pode tirar dúvidas.
Emergência – Concessionária do transporte, a Cidade do Sol teve que fazer adequações, a fim de adequar o serviço à mais recente redução de passageiros, decorrente das medidas de prevenção ao coronavírus, como a suspensão de aulas em todas as instituições de ensino superior e escolas de Mossoró.
A situação emergencial segue tendência de outras cidades, onde há transporte coletivo, que têm se adequado à pandemia do covid-19. Também é uma forma de amenizar o prejuízo de um segmento deficitário, que tem conjugado aumento de custo com queda de receita.

Evasão – “Para se ter ideia do desequilíbrio econômico do sistema em Mossoró, o total de passageiros estudantes, um dos nossos principais públicos, caiu 53%, numa comparação entre outubro de 2019 e esta terceira semana de março”, informa o diretor da empresa, Waldemar Araújo.
A fusão de linhas e redução de horários, porém, são insuficientes para resolver a crise do setor. “A situação é muito preocupante. Precisamos, entre outras coisas, desonerar o custo do transporte, por exemplo, com a redução do ISS (Imposto Sobre Serviços)”, exemplifica.
Perdas – A estimativa é de que o sistema de transporte urbano por ônibus enfrente uma perda de 50% dos passageiros nos próximos meses no Brasil. A projeção é da Associação Nacional das Empresas de Transportes URBANOS (NTU), com base na redução de demanda registrada em algumas capitais esta semana, quando houve determinações de suspensão das aulas, fechamento de estabelecimentos e proibição de aglomerações.

Os ônibus respondem por 86% das viagens feitas em transportes coletivos urbanos no Brasil, e transportam 43 milhões de pessoas diariamente.

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...