Dificuldades

Terceirizados da UERN amargam atrasos de salário; greve não está descartada

Trabalhadores estão completando 3 meses sem receber os salários. Além disso, não viram a cor do décimo terceiro de 2018.

Os trabalhadores terceirizados da empresa Prime que prestam serviços à Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) vivem dias de muitas dificuldades.

Segundo informações, os trabalhadores estão completando 3 meses sem receber os salários. Além disso, não viram a cor do décimo terceiro de 2018.

Para completar o cenário, também não estão recebendo o vale alimentação. A maioria não tem sequer como se dirigir aos locais de trabalho e o fazem apenas com a ajuda de familiares e amigos. Uma greve não está descartada.

Notícias semelhantes