Julgamento

Tenente-coronel é condenado por liderar contrabando de cigarros no RN

A 2ª Vara Federal condenou o réu a 14 anos e oito meses de prisão. Oficial da PM foi apontado como líder de organização criminosa

O tenente-coronel André Luiz Fernandes da Fonseca, que estava preso desde janeiro do ano passado, apontado como líder de uma numerosa quadrilha que contrabandeava cigarros no Rio Grande Norte, foi julgado e condenado pela Justiça Federal do RN. O oficial da PM teve a pena estipulada em 14 anos e oito meses de prisão.

Além, dele, mais sete pessoas também foram condenadas por associação criminosa e contrabando, incluindo um cabo da Polícia Militar. Na decisão do juiz federal Walter Nunes da Silva, titular da 2ª Vara Federal, o tenente-coronel foi condenado por crimes de associação criminosa e contrabando. A decisão absolveu duas pessoas. A sentença também decidiu pela perda do cargo público de do tenente-coronel André Luis Fernandes e do cabo da Polícia Militar.

A Secretaria de Segurança e Defesa Social (SESED) do Rio Grande do Norte, informou, através de nota, que a Polícia Militar só vai se pronunciar quando for comunicada da decisão oficialmente.

O tenente-coronel Fernandes atuava como subcomandante do Comando de Policiamento do Interior desde 2008. Ele já foi candidato a deputado em duas ocasiões, chegando à condição de suplente, e também a vice-prefeito de Macau, onde já trabalhou como comandante do policiamento regional.

Além das condenações individuais, o juiz determinou a perda de imóveis e veículos em nome dos réus, além de mais de R$ 600 mil com eles apreendidos, dos quais pelo menos R$ 200 mil em espécie.

O policial militar foi preso no dia 14 de janeiro do ano passado durante uma operação da Polícia Federal, denominada de Níquel. Na ocasião, André Luiz, ficou detido no Presídio Federal de Mossoró, onde também deverá cumprir a condenação.

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...