Greve geral

Paralisação no RN tem adesão de mais de 100 sindicatos

Rodoviários, ferroviários, professores da rede pública e das universidades, servidores municipais e da saúde vão paralisar suas atividades.

A greve geral marcada para todo o país para esta sexta-feira, 14/6, será muito forte no Rio Grande do Norte. De acordo com centrais sindicais e federações com atuação em solo potiguar, mais de cem sindicatos norte-riograndenses aderiram à paralisação e estarão com seus filiados nas ruas para protestar.

Setores importantes da sociedade como rodoviários, ferroviários, professores da rede pública e das universidades, servidores municipais e da saúde já declaram que irão paralisar suas atividades. O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Mossoró (SINDISERPUM), o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Rio Grande do Norte (SINTE/RN), Sindicato dos Servidores Técnicos-Administrativos da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (SINTAUERN) são algumas das entidades que confirmaram adesão.

A Greve Geral desta sexta-feira, 14/6, é uma resposta dos trabalhadores e trabalhadoras do Brasil contra a nova previdência do presidente Jair Bolsonaro (PSL). No Rio Grande do Norte, centrais como a CUT, CTB, CSP Conlutas, Intersindical, Frente Brasil Popular e Povo Sem Medo, movimentos sociais do campo e da cidade estão mobilizados para fazer uma das maiores manifestações políticas da história do nosso estado.

Para a presidenta da CUT/RN, Eliane Bandeira, a expectativa para amanhã é de parar o Rio Grande do Norte. ‘’A Greve Geral não vai acontecer só em Natal e Região Metropolitana, mas em todo o Estado a CUT está mobilizada junto com os movimentos sociais para fazer a maior greve da história”, afirmou.

O presidente da Federação dos Trabalhadores em Administração Municipal do Rio Grande do Grande do Norte (FETAM/RN) revela que o sentimento dos municipais também é de ir às ruas para mostrar sua insatisfação com a política de redução de direitos do atual governo federal, contra a reforma da previdência e por respeito às conquistas da classe trabalhadora.

Já a militante do Levante Popular da Juventude e representante da Frente Brasil Popular, Mara Farias, acredita que a juventude tem um papel primordial para lutar contra essa reforma. “Essa greve é importante para fortalecer a unidade dos trabalhadores, em especial, a juventude que ainda não acessou os espaços de trabalho.

Essa parcela da população tem perdido muitos direitos desde o início do ano, os cortes na educação, o pacote anti crime criado por Moro, atingirá especialmente a juventude das periferias que já não tem perspectivas de entrar na universidade, a aposentadoria poderá ser um sonho não alcançado”, afirmou.

Municípios como Natal, Mossoró, Caicó, Caraúbas, Angicos, Pau dos Ferros, Apodi, Canguaretama e São Paulo do Potengi terão atividades. Veja a programação:

Natal
15h – O ato político será na calçada do Midway e termina com um show político cultural na praça de Mirassol.

Assú
7h30 – Concentração ao lado do INSS

Caicó
7h30 – Ato público na Praça da Alimentação, no centro.

Mossoró
7h – Assembleia unificada na sede do Sindicato dos Trabalhadores da Educação Pública do RN (Sinte/RN).
15h – Ato público com concentração na Igreja do Alto São Manoel

(Com informações da CUT)

Notícias semelhantes