Greve nacional

Estudantes protestam em Mossoró contra cortes na educação

O ato contou com participação de estudantes da Ufersa, UERN, IF, escolas públicas e membros do MST, CUT, centrais sindicais, organizações de ativismo social.

Estudantes e entidades ligadas à educação realizam nesta quarta-feira, 15 de maio, manifestações e uma greve nacional em protesto contra os cortes de verba destinados ao ensino, anunciados pelo Governo do presidente Jair Bolsonaro.

Além dos contingenciamento de verbas destinadas a universidades federais e a programas de pesquisa, as entidades estudantis protestam contra as declarações polêmicas do ministro Abraham Weintraub, que associou o corte de recursos a atos de “balbúrdia”.

Em Mossoró, a mobilização ocorreu na manhã desta quarta-feira. A concentração aconteceu em frente à Ufersa e seguiu pela Avenida Presidente Dutra.

O ato contou com participação de estudantes da Ufersa, UERN, IF, escolas públicas e membros do MST, CUT, centrais sindicais, organizações de ativismo social.

Natal

Em Natal, manifestantes ligados ao Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) fecharam a avenida João Medeiros Filho, próximo ao Partage Norte Shopping. Eles falaram com motoristas e entregaram panfletos, encerrando a movimentação por volta das 11h. Também foram registrados atos em São Gonçalo do Amarante, Nova Cruz, Caicó, Currais Novos e Fernando Pedroza.

Bolsonaro

Em sua chegada a Dallas, nos Estados Unidos, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que os estudantes em manifestação contra o corte de verbas para a Educação são “massa de manobra” e “idiotas úteis”. Em sua opinião, eles são manipulados por uma minoria que comanda as universidades federais.

“É natural, é natural, mas a maioria ali é militante. Se você perguntar a fórmula da água, não sabe, não sabe de nada. São uns idiotas úteis que estão sendo usados como massa de manobra de uma minoria espertalhona que compõe o núcleo das universidades federais no Brasil”, disse o presidente.

Notícias semelhantes