Da (in)utilidade do ginásio municipal

Inaugurado em abril de 2004 com pompa e circunstância (show em praça pública da cantora Ivete Sangalo) o ginásio poliesportivo de Mossoró foi entregue à população pela então prefeita Rosalba Ciarlini com a promessa de colocar a cidade no circuito nacional de competições de futsal, vôlei, handebol e basquete, para ficar apenas nessas modalidades.

Construído a um custo de R$ 5 milhões, dos quais R$ 1 milhão investido pela prefeitura de Mossoró e o restante custeado pela Petrobras, o Ginásio Pedro Ciarlini é hoje o retrato da gestão Rosalba Ciarlini (PP): inoperante. Um investimento que vai se esvaindo pelo tempo pelo não uso.

Moderno, o equipamento tem capacidade para abrigar 4.500 pessoas sentadas, mas a última utilização feita dele foi abrigar concurso de quadrilhas juninas. Um elefante branco em espaço nobre da cidade. A prefeitura gasta com a manutenção, gasta com pessoal e deixa o ginásio às moscas, se deteriorando. Como a falta de transparência é praxe na atual gestão, não se sabe qual o custo mensal para manter o ginásio.

Entre 2012 e 2016, aquela importante praça de esportes esteve interditada. Em 30 de junho de 2016, o ex-prefeito Francisco José Júnior (PSD) promoveu algumas disputas de futsal para anunciar a reabertura. Da gestão de Francisco José Júnior ficou a incerteza sobre o fim dado ao antigo piso do ginásio, um dos melhores e mais caros do país.

Em que pese a prefeitura de Mossoró contar com uma Secretaria Municipal de Esporte e Lazer, a atenção dada ao principal equipamento esportivo público é quase nenhuma.

MAIS CARGOS

Enquanto relega ao abandono importantes equipamentos públicos, como o Ginásio Pedro Ciarlini e o Teatro Municipal, a prefeita Rosalba Ciarlini segue na tentativa de criar mais cargos comissionados na prefeitura de Mossoró.

MAIS DINHEIRO

A prefeita também luta desesperadamente para poder contrair um empréstimo milionário junto à Caixa Econômica Federal. A prefeita poderá ter até R$ 150 milhões a mais em caixa caso a operação seja concretizada. Ás vésperas de uma eleição.

MENOS AÇÕES

Se somente ao final do seu terceiro ano de mandato é que Rosalba percebeu que precisa de empréstimo para fazer obras, dá para se ter uma ideia de como a prefeita planeja sua administração. Ou assume que não teve planejamento algum ou que o dinheiro poderá ser usado para catapultar sua campanha à reeleição.

BOLSONARO X PAULO FREIRE

É para matar de rir – e de vergonha – um miliciano desqualificado como o presidente Bolsonaro querer questionar a obra e o legado de Paulo Freire para a educação do país. Freire é estudado nas principais universidades do mundo, sendo citado por grandes pesquisadores. Bolsonao talvez seja citado apenas no Escritório do Crime.

Comentários
Loading...