Música

Belchior terá tributo em Mossoró

Evento é uma homenagem pelos 73 anos do cantor cearense

Nascido em Coreaú, na época distrito de Sobral, no Ceará, o cantor e compositor cearense Antônio Carlos Belchior completaria, se vivo estivesse, 73 anos no próximo dia 26 de outubro e Mossoró entra no rol de cidades que farão homenagem ao eterno “rapaz latino-americano”.
O Fá-clube Alucinação, criado em 2008, realizará na data do aniversário de Belchior mais um tributo na cidade, como tem feito há mais de uma década. A “Noite Belchiana” será comandada pela Banda dos Corações Selvagens, de Recife, com abertura do poeta Airton Cilon, que fará uma prévia ao som do também imortal Raul Seixas.

O evento acontecerá no Boulevard Central, a partir das 20h e terá ainda exposição com itens de Belchior e venda de livros. As senhas já estão sendo comercializadas no site Sympla (https://www.sympla.com.br/noite-belchiana-mossoro__669209) ou no restaurante Balú, no próprio shopping ao preço de R$ 20,00.

Belchior é autor de grandes clássicos da música brasileira, como “Alucinação”, “Paralelas”, “Medo de Avião” e “Na Hora do Almoço”, sucesso que também foi gravado por Elis Regina e que o projetou para o mundo. Faleceu em 30 de abril de 2017 na cidade de Santa Cruz do Sul/RS, após quase dez anos de um auto-exílio.

Sua vida e obra tem sido homenageadas desde então Brasil afora. Em Mossoró, o Fã-clube Alucinação comemora o seu aniversário há mais de uma década.

BANDA – Criada em 2016, a Banda dos Corações Selvagens, de Recife/PE homenageia e perpetua a filosofia e a musicalidade do cantor cearense Belchior. A Banda surge junto com o bordão “Volta Belchior”, na época em que muita gente imaginava que isso pudesse realmente a vir a acontecer.
“A gente até sonhava em tocar junto com ele. Mas nossa esperança de jovem não aconteceu. E veio o tempo negro, agora estamos vivendo um momento sombrio, onde cantar Belchior se tornou ainda mais urgente e necessário”, diz um dos componentes.

Formada por Nívea Maria (baixo e voz); Joana Knobbe (teclado, flauta e voz); Juvenil Silva (voz e guitarra) e Rafael Daltro (bateria) a Banda dos Corações Selvagens dá uma roupagem ultra-moderna aos primeiros sucessos de Belchior lançando-o ao universo do rock, do groove e da psicodelia, num show que agrada a todas as gerações.

Notícias semelhantes