Inverno

Barragem Armando Ribeiro Gonçalves dobra o volume em relação a 2019

As reservas hídricas superficiais potiguares somam 2. 465.278.437 m³, que correspondem a 56,33%, dos 4.376.444.842 m³ que os mananciais monitorados conseguem acumular juntos.

O Instituto de Gestão das Águas do RN (Igarn), que monitora os 47 reservatórios, com capacidades superiores a 5 milhões de metros cúbicos, responsáveis pelo abastecimento das cidades potiguares, divulgou o Relatório do Volume dos Principais Reservatórios Estaduais.

O relatório divulgado nesta quinta-feira (16/7), indica que a barragem Umari, localizada em Upanema, acumula 266.869.390 m³, que correspondem a 91,14% da sua capacidade total que é de 292.813.650 m³. No dia 16 de julho de 2019 o volume do manancial era de 113.825.040 m³, percentualmente, 38,87% da sua capacidade total.

As reservas hídricas superficiais potiguares somam 2. 465.278.437 m³, que correspondem a 56,33%, dos 4.376.444.842 m³ que os mananciais monitorados conseguem acumular juntos. No início de julho de 2019, as reservas estaduais eram de 1.386.775.515 m³, percentualmente, 31,68% da capacidade total do RN.

A barragem Armando Ribeiro Gonçalves, maior reservatório do RN, acumula 1.552.949.645 m³, percentualmente, 65,44% da sua capacidade total que é de 2,37 bilhões de metros cúbicos. No mesmo período do ano passado o manancial represava 792.536.000 m³, correspondentes a 33,02% do seu volume total.

Segundo maior reservatório do Estado, a barragem Santa Cruz do Apodi recebeu pequeno aporte hídrico com relação ao último relatório, divulgado no dia 6 de julho, atualmente acumula 210.739.360 m³, correspondentes a 35,14% da sua capacidade total que é de 599.712.000 m³. Em meados de julho de 2019, o manancial estava com 146.071.583 m³, percentualmente, 24,36% do seu volume máximo.

A barragem Poço Branco, localizada no município de Poço Branco, também recebeu aporte hídrico, com relação ao último relatório divulgado pelo Igarn, e acumula 31.417.326 m³, percentualmente, 23,1% da sua capacidade total que é de 136.000.000 m³. No mesmo período do ano passado o reservatório estava com 40.666.359 m³, correspondentes a 29,90% do seu volume total.

O açude Beldroega, localizado em Paraú, chegou a ficar, novamente, com 100% da sua capacidade que é de 8.057.520 m³, durante a última semana, mas já perdeu volume e acumula 7.933.466 m³, correspondentes a 98,46% do seu volume total. Esse valor, no entanto, ainda é superior ao apresentado no último relatório. Em comparação com 2019, o manancial, neste mesmo período, estava com 7.304.218 m³, correspondentes a 90,65% do seu volume total.

Além do açude Beldroega e da barragem Umari, outros reservatórios com mais de 90% da capacidade de acúmulo são:

  • Mendubim, localizado em Assu, com 99,73%;
  • Pataxó, em Ipanguaçu, com 95,24%;
  • Dourado, em Currais Novos, com 91,44%;
  • Encanto, localizado em Encanto, com 93,61%;
  • Santo Antônio de Caraúbas, localizado em Caraúbas, com 95,49%;
  • Morcego, em Campo Grande, com 95,91%;
  • Apanha Peixe, em Caraúbas, com 98,33%;
  • Riacho da Cruz II, localizado em Riacho da Cruz, com 93,79%;
  • Passagem, em Rodolfo Fernandes, com 96,92% e
  • Santana, em Rafael Fernandes, com 96,67%.

A barragem de Pau dos Ferros acumula 20.072.558 m³, que correspondem a 36,6% da sua capacidade que é de 54.846.000 m³. No mesmo período do ano passado o manancial estava com 351.356 m³, percentualmente, 0,64% do seu volume total.

O reservatório Marechal Dutra (Gargalheiras), localizado em Acari, acumula 14.578.852 m³, percentualmente, 32,82% da sua capacidade total que é de 44.421.480 m³. Em meados de julho do ano passado o Gargalheiras estava com 240.161 m³, correspondentes a 0,54% do seu volume total.

O açude Itans, em Caicó, acumula 10.833.302 m³, percentualmente, 14,28% da sua capacidade total que é de 75.839.349 m³. No ano passado, nesse mesmo período, o reservatório estava com 1.346.000 m³, correspondentes a 1,65% do seu volume total.

Os reservatórios com volumes inferiores a 10% das suas capacidades, portanto em nível de alerta, são: Esguicho, em Ouro Branco, com 2,74%; e Passagem das Traíras, que está em obras e não pode acumular um grande aporte hídrico, com 1,26%. Em termos percentuais os dois representam 4,25% dos reservatórios monitorados pelo Igarn.

Já os mananciais secos também são dois: Inharé, localizado em Santa Cruz, e Trairi, em Tangará. Portanto, em termos percentuais também representam 4,25% dos açudes monitorados.

Situação das lagoas

A Lagoa de Extremoz, responsável pelo abastecimento de parte da zona norte da capital, está atualmente com 100% da sua capacidade que é de 11.019.525 m³.

A Lagoa do Boqueirão, localizada em Touros, acumula 10.922.267 m³, percentualmente, 98,62% da sua capacidade total que é de 11.074.800 m³.

A Lagoa do Bonfim, localizada em Nísia Floresta, está com 45.798.013 m³, correspondentes a 54,35% da sua capacidade total de acumulação que é de 84.268.200 m³.

Assecom/IGARN

 

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...