Problema

Atraso em repasses impede consignados de servidores estaduais

Governo informa que dívida com o Banco do Brasil é de pelo menos R$ 108 milhões, por falta de repasses de 2016 a 2018

Durou pouco o sonho dos servidores estaduais de retomarem os empréstimos consignados em folha com o Banco do Brasil. A governadora Fátima Bezerra havia prometido ao funcionalismo público do Estado do Rio Grande do Norte, durante reunião com o Fórum Estadual dos Servidores, em junho que os consignados seriam liberados a partir da segunda quinzena de julho.

Ao jornal Tribuna do Norte, o Controlador Geral do Estado, Pedro Lopes, informou que o Estado tem uma dívida de pelo menos R$ 108 milhões com o Banco do Brasil, oriundos de não repasse de consignados dos servidores, do período de 2016 a 2018 e que a mencionada instituição financeira somente libera novos empréstimos se essa dívida foi quitada.

O controlador, no entanto, levanta duas possibilidades. Uma delas é que, caso o BB compre a folha de pagamento do servidor estadual, esse débito entre na negociação. Nesse caso, os consignados seriam liberados com juros mensais de 1,79%. Uma segunda alternativa será negociar com ouras instituições bancárias. Nessa hipótese, a taxa de juros seria um pouco mais elevada. A certeza apresentada pelo secretário é de que os consignados não poderão ser retomados ainda este mês de julho.

Notícias semelhantes