Receitas

Governo espera ter R$ 1 bilhão extra em caixa até dezembro

Estimativa é feita pelo secretário estadual de Planejamento, que diz que a verba será para pagar parte dos atrasados e décimo terceiro salário de 2019

O Governo do Estado do Rio Grande do Norte espera ter em caixa, até o próximo mês de dezembro, receitas extraordinárias que cheguem ao valor aproximado de R$ 1 bilhão de reais. Esse dinheiro novo será utilizado para pagar parte das 3 folhas em atraso (novembro, dezembro e décimo de 2018) e o décimo terceiro salário de 2019.

Análise nesse sentido foi feita pelo secretário estadual de Planejamento, Aldemir Freire, em entrevista ao Portal do RN. Ele ponderou que será impossível, num exercício de 1 ano, quitar 13 folhas salariais. “Temos as 13 folhas desse ano, mais 4 folhas atrasados – não integrais – mas quatro folhas. Então é impossível quitar tudo isso num só ano”, avaliou Aldemir Freire.

Ele inclusive citou de onde virá cada parte de recursos que, juntos, chegarão a quase R$ 1 bilhão. “O bônus da assinatura do excedente da cessão onerosa,vai render uns R$ 450 milhões para o Estado do Rio Grande do Norte. Teve a venda da folha, que rendeu R$ 250 milhões, mas a gente vai abater R$ 100 milhões da dívida dos consignados, vai pagar uma multa de mais de R$ 20 milhões e vai receber então aproximadamente R$ 123 milhões. Essas duas operações vão render aproximadamente R$ 575 milhões ao final do ano”, explicou Aldemir Freire.

Ainda segundo o secretário de Planejamento, o governo vem fazendo um esforço para ser contemplado pelo Programa de Equilíbrio Fiscal do Governo Federal, que renderia mais R$ 250 milhões. “E a gente tem ainda a possibilidade de alguma operação de antecipação de royalties, que a gente ainda está avaliando a dimensão, e uma venda de SCVF, alguns fundos que a gente tem. Então temos esse pacote de recursos que faria com que entrasse nos cofres do Estado alguma coisa próxima de R$ 1 bilhão, o que ajudaria a gente a fechar as contas de 2019 e abater parte do passivo”, explicou.

Aldemir Freire revelou que o governo vem trabalhando para priorizar o pagamento da folha salarial dentro do mês trabalhado e buscado recursos extras para pagar os atrasados. “Com esses recursos, vamos pagar o décimo terceiro salário de 2019 e abater parte do passivo de 2018”, reafirmou. A entrevista completa com o secretário Aldemir Freire será publicada no próximo sábado, 7/9, na Conversa da Semana.