Projeto

Aluna potiguar apresentará trabalho na maior feira pré-universitária do mundo

o total, entre certificados e credenciais para feiras nacionais e internacionais, 20 premiações foram entregues aos estudantes potiguares

Os alunos da rede estadual de ensino realizaram importante participação na 17ª Febrace (Feira Brasileira de Ciências e Engenharia da Universidade de São Paulo – USP), na capital paulista. No total, entre certificados e credenciais para feiras nacionais e internacionais, 20 premiações foram entregues aos estudantes potiguares, incluindo a disputada credencial para a Intel ISEF, maior feira pré-universitária de ciências do mundo.

O projeto selecionado para compor a delegação brasileira na Intel ISEF foi o “Desenvolvimento de cateter bioativo proveniente do aproveitamento do líquido da castanha do caju (Anacardium Occidentale) como alternativa na prevenção de infecção sistêmica”, desenvolvido pela aluna c Brito de Medeiros, da Escola Estadual Hermógenes Nogueira da Costa, localizada em Mossoró.

O trabalho começou a ser concebido após uma experiência familiar da estudante. Ekarinny perdeu uma tia, vítima de infecção na corrente sanguínea, ocasionada por um cateter. Diante desse acontecimento, a aluna iniciou estudos e descobriu que não havia cateter que possuísse propriedades bioativas, que inibe bactérias.

Com o auxílio de sua professora, atividades de iniciação científica e leituras sobre o assunto, surgiu a ideia de produzir um cateter com resíduos agroindustriais da cultura do caju, graças ao potencial que o RN tem na produção da fruta. “A minha escola, a direção e os professores me ajudaram bastante”, conta Ekarinny. “Eu nunca pensei que eu pudesse ir para outro país e os estudos que essa pesquisa está me proporcionando. Representar o nosso país na maior feira do mundo e ser de escola pública é incrível”, conclui a estudante. Por meio do seu projeto, a estudante foi premiada com uma credencial para a Intel ISEF, maior feira pré-universitária de ciências do mundo, que será realizada no Arizona, Estados Unidos, em maio.

A SEEC, em parceria com universidades do RN, como a UERN e Ufersa, realiza ações com foco no desenvolvimento do pensamento científico dos estudantes e na motivação dos professores na realização de ações que dinamizem a ciência em sala de aula.  “Para nós, é motivo de orgulho ver tantos estudantes trilhando um caminho de sucesso por meio da iniciação científica”, pontua Márcia Gurgel, secretária adjunta de Educação.

Kiara Lopes, professora de biologia da escola e orientadora da estudante no projeto, afirma que a sensação é de dever cumprido. “A missão que a ciência nos dá, que é contribuir para um mundo melhor e para a transformação da sociedade e procurar uma solução para uma problemática para a sociedade, foi cumprida”, explica. Também afirma que já estavam felizes com a execução da pesquisa, a premiação foi uma conquista extra, “mesmo que não viesse medalhas, já estávamos satisfeitas por participar de uma feira de tamanha importância que é a Febrace e por estar mostrando o trabalho que fizemos”, concluiu.

O projeto também foi homenageado com o 2º lugar no prêmio Destaques da SBPC na Febrace e com o Prêmio Destaque das Unidades da Federação, além de ganhar credencial para a Feira de Tecnologias, Engenharia Ciências do Mato Grosso do Sul.

Notícias semelhantes